Atividade física reduz os riscos de complicações da COVID-19?

Categoria: Dicas Fitness

É fato que quem pratica alguma atividade física têm menos complicações em vários tipos de doenças. Um estudo acompanhado nos Estados Unidos, pela Universidade de Oxford, demonstrou que pacientes mais ativos fisicamente, desenvolveram menos complicações. 



É claro que, muitos fatores comportamentais e ambientais estão interligados, incluindo dieta, peso, uso de álcool, entre outros. 



A boa notícia é que, apesar dessas limitações, é sempre uma ótima ideia fazer mais exercícios, mesmo que a inatividade seja um fator de risco importante para Covid-19. 



Ser mais ativo melhora a saúde e o bem-estar e reduz o risco de desenvolver doenças. Em pessoas que já vivem com problemas de saúde de longo prazo, também pode melhorar o gerenciamento e os resultados da doença.



Praticar alguma atividade física, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é melhor do que nada. E afirma que, quanto mais atividade física um indivíduo fizer, melhor ainda será para sua saúde como um todo. Também destaca a necessidade das pessoas de reduzir o sedentarismo, ou seja, o tempo gasto sentado ou deitado.



A atividade física inclui toda e qualquer atividade que movimente seu corpo, como caminhar, andar de bicicleta, corrida, ginástica, até mesmo limpar a casa. 



Os benefícios são recompensadores: 



Fortalecimento dos músculos; 



Melhora do sistema imunológico;



Controla o peso; 



Reduz o risco de hipertensão, doenças cardiovasculares;



Melhora o preparo físico e saúde mental;



Uma sensação de grande bem-estar. 



Portanto, quer a atividade física minimize ou não os riscos de complicações da COVID-19, seguir as recomendações e diretrizes de atividade física é uma sugestão muito preventiva e sensata. E talvez o que mais chame a atenção para este estudo é que, ao contrário de alguns dos outros fatores de risco para COVID-19, a atividade física é modificável. Não podemos jamais alterar nossa idade, mas podemos dar suporte para nossa qualidade de vida, nossa saúde a longo prazo, sendo mais ativos. 



Se gostou do nosso artigo e achou esclarecedor, deixe seu comentário.  



Por: Sonia Ferreira